Com cerca de 160 palestrantes e 60 cursos, a Brasil Futebol Expo tem atraídos estudantes e profissionais que sonham em seguir uma carreira na indústria esportiva. Entre as centenas de universitários presentes, muitos se encontram ainda nos primeiros períodos de suas faculdade. E sequer fizeram seus primeiros estágios. Mas já buscam nesta que é a maior feira sobre futebol das Américas uma forma de começar a ter contato com o mercado.

Duas das áreas com mais representantes no evento foram comunicação/marketing e educação física. A feira ofereceu diversos conteúdos para os universitários desses dois segmentos, que lotaram os auditórios para acompanhar os palestrantes.

Estudante de jornalismo

A carioca Nathalia Movilla, estudante do segundo período de jornalismo na PUC do Rio de Janeiro, esteve na feira ao lado de três colegas de turma na quinta-feira. Foi direto do aeroporto para o Pro Magno Centro de Eventos, em São Paulo, local do evento.

Uma das palestras que Nathalia acompanhou foi da especialista em marketing esportivo e empreendedora Mônica Esperidião. Ela falou sobre as oportunidades que as marcas têm de patrocinar o futebol feminino. Ao final da apresentação, a jovem estudante fez questão de procurar a palestrante para elogiar o conteúdo e dizer que havia aprendido muito com o que ouviu.

Nathalia (à esq.) e Mônica Esperidião (Crédito: Raphael Crespo)

“Foi muito em cima da hora que eu decidi vir. Consegui passagem, vim direto do aeroporto para passar o dia todo por aqui e ir embora no dia seguinte. Essa feira é uma oportunidade absurda para eu apreender. E eu quero muito trabalhar como jornalista dentro do esporte”, disse Nathalia.

Colega da educação física

Um grupo de quatro estudantes do segundo ano de Educação Física na USP de Ribeirão Preto também andou a colecionar certificados dos cursos da Brasil Futebol Expo. Com foco maior nas palestras dos treinadores e dirigentes de grandes clubes e instituições, Rafael, Davi, Augusto e Nathan aproveitaram a feira para começarem a ter contato com o mercado. Mesmo só podendo ingressar em um estágio a partir do ano que vem, quando estarão no terceiro ano.

“Eu vim aqui para conhecer pessoas que eu admiro. Como Marco Aurélio Cunha, André Jardine, Vanderlei Luxemburgo, ente outros. Pessoas com experiência no esporte de alto rendimento. Foi legal poder ouvir um pouco sobre como é o dia a dia deles, o que eles fazem”, disse Rafael Luiz, de 20 anos. “Quero trabalhar com futebol. Entrei na faculdade pensando em trabalhar com preparação física. Mas agora eu tenho focado mais na parte de análise de desempenho”, completou o estudante.

Networking dos universitários

Seu colega Augusto, de 19 anos, fez questão de lembrar um ponto importante para qualquer estudante que sonha em entrar no mercado esportivo: o networking.

“Busco ser preparador físico no futebol de alto desempenho. Fui em palestras relacionadas a isso. E vim aqui também buscar networking. Estar perto de pessoas que já estão nesse meio, descobrir como elas conseguiram oportunidades na área. E aumentar a minha visão sobre a educação física e sobre o que o futebol pode me proporcionar”, disse Augusto.