Nessas Olimpíadas de Tóquio, os skatistas puderam, pela primeira vez, participar dos Jogos e disputar por medalhas em seu esporte — agora olímpico. Na categoria feminina, Rayssa Leal conquistou o prata para o Brasil.

O triunfo da Fadinha, que tem apenas 13 anos,  chamou a atenção de milhares dos brasileiros que assistiram ou acompanharam o evento, e acabou provocando uma alta nas vendas de skate no país. Entre os relatos de lojas e marcas, está a Netshoes, que reportou um aumento de quase 80% nas vendas em relação à semana anterior, no dia seguinte à conquista do prata.

Outro exemplo foi o de uma loja e escola de skate de Belo Horizonte, a Blunt Skate Shop. Alexandre Dantas, coordenador do estabelecimento, disse que nunca viu tanto movimento na loja física e nas redes sociais. “Muitas meninas nos procuraram, mas não só elas. Os adultos também se animaram.”, disse Dantas.

Com apenas 13 anos, Rayssa Leal conquistou não só o prata olímpico, mas também o povo brasileiro. A Fadinha é mais um exemplo de história incrível contada pelos atletas do Brasil nas Olímpiadas, dessa vez no skate.