O que parecia ser apenas mais uma especulação do mercado esportivo, ganha forma em 23 de abril de 2019, quando a empresa austríaca de energéticos Red Bull firma parceira com o clube de Bragança Paulista, cidade de São Paulo com localização privilegiada, entre a capital do Estado e os Estados de Minas Gerais e Goiás. Além de ser considerada a 10ª cidade mais segura para se viver no País, segundo o Atlas da Violência, o município que já tinha torcedores apaixonados pelo Clube Atlético Bragantino, hoje vive as alegrias dadas pelo Red Bull Bragantino (nome dado ao Clube após a parceria) com as boas atuações nos campeonatos disputados desde 2019.

Navegue pelo conteúdo

Linha do tempo

  • 2007 – Fundação, Paulista Serie B (4ª divisão) — Maurílio (Ex Paraná Clube) e Gilmar Fubá (Ex Corinthians)
  • 2008 – Estréia no campeonato estadual
  • 2009 – Acesso a A3 e Título Estadual da Segunda divisão
  • 2010 – Acesso a A2, Título Estadual A3 e vice-campeonato da Copa Paulista
  • 2011 – Sem acesso e classificação no Paulista e Quartas-de-finais da Copa Paulista
  • 2012 – Sem acesso no Paulista (Semi-final)
  • 2013 – Quartas-de-final no Paulista, sem classificação
  • 2014 – Acesso a A1 (Primeira divisão), vice-campeão da A2.
  • 2015 – Estreia na primeira divisão do Campeonato Paulista. 6º lugar, eliminado nas quartas-de-final (posição que dava direito de participar da Série D do Campeonato Brasileiro 2015) — Não passou da primeira fase da competição
  • 2016 – Estreia na Copa do Brasil, eliminado na primeira fase. Eliminado nas quartas-de-final, ficando em 7º lugar.
  • 2017 – Eliminados na primeira fase do Campeonato Paulista e Brasileiro Série D
  • 2018 – Eliminados na primeira fase do Campeonato Paulista.
  • 2019 – Eliminados nas quartas-de-final do Campeonato Paulista, classificados para o Troféu do Interior e campeões
  • 2020 – Compra do Bragantino, Red Bull Brasil passa a ser equipe B + Inclusão do futebol Feminino e primeiro ano entre os 4 melhores do Paulista
  • 2021 – Vice-campeão da Sul-Americana 2021 e 3 jogadores convocados para Seleção Brasileira (Claudinho, Léo Ortiz e Artur) + Conquista da segunda divisão do Campeonato Brasileiro Feminino.
  • 2023 – Novo CT em Atibaia.

RB BRASIL: A chegada da Red Bull no futebol brasileiro

Para compreender melhor as negociações é preciso lembrar que, antes da parceira, o Red Bull já almejava novos patamares no futebol brasileiro. Foi com o RB Brasil, em 2007, que a empresa austríaca deu o pontapé inicial. Apesar das boas atuações, como o acesso para a divisão A1 do Paulistão em 2015, o “Toro Loko” — como era conhecido — não encantava torcedores, amargando apenas a 4ª divisão do Campeonato Brasileiro. Com isso, a companhia iniciou as suas buscas por um time que estivesse, ao menos, disputando a Série B do Brasileirão. Foi então que as conversas começaram entre a Red Bull e o Clube Atlético Bragantino. As negociações caminharam bem e a parceria foi firmada, inicialmente, em um investimento de R$45 milhões.

Red Bull Bragantino

A parceria entre a empresa austríaca Red Bull e o Bragantino foi oficialmente apresentada em 23 de abril de 2019. Desde então, o clube passou por grandes modificações, como mudança de nome, escudo, e investimentos milionários. Após a oficialização do acordo, praticamente todo o elenco do RB Brasil foi transferido para o Bragantino. Em contrapartida, apenas quatro jogadores que defenderam o Massa Bruta no Paulistão de 2019 continuaram no clube.

A primeira competição oficial da parceria foi o Campeonato da Série B, disputado em 2019. Sem tempo para mudanças, o time iniciou o campeonato como Clube Atlético Bragantino. O contrato, porém, já previa mudanças que seriam feitas a partir do início de 2020. Foi então que, no dia 1º de janeiro, o clube passou oficialmente a ser chamado de Red Bull Bragantino.

Para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B de 2019, foram implementados incentivos financeiros e contratados alguns reforços. Naquele ano, o time conquistou a Série B com muita facilidade — a uma vantagem de pontos quase recorde —, o que gerou um bônus de 225 mil reais por atleta. Era previsto um pagamento de 3 mil reais por ponto conquistado no campeonato. O acesso criou grandes expectativas e especulações sobre como seria o desempenho do time na principal divisão do país.

Investimento da equipe

Desde que a Red Bull chegou em Bragança Paulista, a formação de uma equipe competitiva foi o grande desafio da nova diretoria. Com a ajuda da comissão técnica, a maioria dos investimentos vem trazendo um resultado positivo para o clube. Foram mais de 100 milhões investidos em diversos jogadores. Segue a lista de alguns deles.

  • Bruno Praxedes, foi contratado junto ao Internacional por 6 milhões de euros (cerca de 36,9 milhões de reais). O jogador de 19 anos foi a contratação mais cara do futebol brasileiro na temporada 2020-21.
  • Artur assinou um contrato com o Bragantino por 5,5 milhões de euros (cerca de 34,1 milhões de reais) para sair do Palmeiras. Investimento que trouxe resultado, tendo em vista que Artur já chegou a representar a Seleção Brasileira. Hoje existem especulações sobre o interesse do Barcelona no atacante.
  • Cleiton chegou do Atlético-MG. Foram investidos 5 milhões de euros (cerca de 28,9 milhões de reais) para tirá-lo de seu ex-clube.
  • Alerrandro é outro que foi contratado após se destacar no Atlético-MG. O atacante chegou ao RB Bragantino no final de 2019 por 3 milhões de euros (cerca de 16,8 milhões de reais).
  • Thonny Anderson, após ser campeão da Copa do Brasil em 2019 pelo Athletico-PR, foi contratado pelo Red Bull Bragantino. O negócio foi fechado por quase 3 milhões de euros (cerca de R$17 milhões de reais).
  • Helinho está emprestado pelo São Paulo. No entanto, os dirigentes do Massa Bruta já notificaram o Tricolor que após o empréstimo devem pagar 23 milhões de reais para adquirir o atacante em definitivo.
  • Claudinho foi contratado pelo valor de aproximadamente 2,5 milhões de reais. Após algumas temporadas excelentes, o jogador foi vendido por 92 milhões de reais.
  • Nathan foi um dos últimos contratados em 2021. O atleta veio por empréstimo do Flamengo, com obrigação de compra após 20 partidas disputadas. O valor de acertado foi de R$22 milhões de reais.

Grande parte dos atletas têm trazido resultados financeiros interessantes para o clube. É perceptível que o Red Bull Bragantino não opta por contratar grandes estrelas (pelo menos por enquanto) do futebol brasileiro ou mundial, mas por atletas com ótimo custo benefício no mercado. Isso é fruto de um grande trabalho de integração entre analistas de desempenho, comissão técnica e diretoria do clube.

Em apenas dois anos da nova gestão, o RB Bragantino já conquistou o título da Série B do Brasileirão, voltou a divisão principal e retornou para uma competição internacional após 25 anos. Após vencer o Libertad do Uruguai por 3×1 fora de casa, o clube garantiu uma vaga na final da Copa Sul-Americana 2021, sendo a primeira decisão internacional disputada pelo clube. O RB Bragantino foi vice-campeão da Sul-Americana, derrotado pelo Athlético-PR, por 1 a 0.

A maior venda da história do clube

O meia Claudinho chegou ao Red Bull Brasil em 2019, antes da compra do time de Bragança Paulista pela multinacional austríaca, e já havia atuado pelo clube em 2016, por empréstimo do Corinthians. Com a parceria, ele se manteve no Massa Bruta, mas agora como jogador do Red Bull Bragantino.

O retorno ao Red Bull alavancou sua carreira. Logo na primeira temporada, conquistou a Série B do Campeonato Brasileiro de 2019. Além do título e do acesso para a Série A do Brasileirão 2020, a equipe apresentou uma boa campanha, o que rendeu ao Claudinho o troféu de craque da competição.

Artilheiro da equipe com 12 gols na temporada e boas atuações, o meia recebeu propostas da China e da Arábia Saudita, além de sondagens de equipes de Portugal, Espanha e Rússia, o que motivou a negociação para ampliar o contrato do jogador até o final de 2024, com aumento salarial e multa rescisória elevada. O valor de mercado de Claudinho, em janeiro de 2021, segundo o Transfermarket, era de aproximadamente R$ 6,5 milhões. Vale destacar que, para obter 100% dos direitos do jogador, o Red Bull Bragantino pagou cerca de R$1 milhão para a Ponte Preta por 50% do atleta e em torno de R$ 1,5 milhão para o Corinthians pelos outros 50%.

Aos 24 anos, Claudinho foi convocado pela primeira vez para a Seleção Olímpica. O jogador estreou com a camisa 10 contra a seleção do Cabo Verde, um amistoso preparatório para as Olimpíadas. Em Tóquio, o meia foi titular em todos os jogos da campanha da conquista do bicampeonato olímpico pelo Brasil. Além do título, o jogador se consagrou como o primeiro campeão olímpico da história do Red Bull Bragantino.

Após inúmeras especulações, o jogador foi vendido para o Zenit da Rússia, em agosto de 2021. Para contar com o craque, o clube russo precisou desembolsar cerca de 15 milhões de euros (certa de R$ 92 milhões), sendo a negociação mais cara da história do Clube Paulista. Medalhista de ouro nos Jogos de Tóquio, Claudinho foi convocado para disputar as eliminatórias da Copa do Mundo pela Seleção Brasileira.

Equipes Red Bull

A Red Bull trabalha com clubes de 4 países, sendo eles, Áustria, Alemanha, Estados Unidos e Brasil. Com equipes profissionais, tanto masculino, quanto feminino, categorias de base e programas de desenvolvimento para crianças.

ClubePaísCategoriasEquipe B
Red Bull SalzburgÁustriaMasculino, Sub-19FC Liefering
Red Bull LeipzigAlemanhaMasculino e Feminino, Sub-19, Sub-17 e eSports
Red Bull New YorkEstados UnidosMasculino, Sub-17, Sub-15, Sub-14, Sub-13 e Sub-12Red Bull New York II
Red Bull BragantinoBrasilMasculino e Feminino, Sub-20, Sub-17, Sub-15 e iniciação esportiva do Sub-8 ao Sub-13Red Bull Brasil

Quem é o dono do Red Bull Bragantino?

Mauricio Chedid, presidente do Bragantino até a fusão, se tornou presidente de honra após a Red Bull assumir 100% da gestão do clube. O CEO do clube é Thiago Scuro. A organização ainda conta com profissionais de ponta em sua comissão técnica. Vale destacar dois deles: o Treinador, Maurício Barbieri, visto por muitos como um profissional visionário em sua função; e o Coordenador Técnico, Sandro Orlandelli, que já teve longas passagens por grandes clubes da Europa, como o Arsenal e Manchester United.

De fato, sabemos que o acordo entre a empresa e o clube é bem amplo. Temos certeza de uma coisa: “Todas as decisões desportivas do Red Bull Bragantino pertencem à Red Bull” — Thiago Scuro, CEO Red Bull Bragantino, para Kritike Podcast.

#GOREDBULLS

O Red Bull Bragantino mudou o mercado do futebol brasileiro. O clube empresa, tão conhecido na Europa, pode ser explorado em terras nacionais.

Como um dos mais tradicionais clubes do interior paulista, a equipe, mesmo após anos de crises e rebaixamentos, agora possui um dos mais caros e melhores elencos do país, além de uma estrutura muito acima da média.

Os objetivos da empresa austríaca têm sido alcançados. Os seus times no exterior fazem sucesso, como o Red Bull Leipzig, que em pouco mais de 10 anos já disputa o título da Bundesliga, principal campeonato alemão. E assim está sendo com o Red Bull Bragantino, que aparece entre os primeiros no Campeonato Brasileiro 2020, deixando gigantes do futebol nacional para trás, além de ser vice-campeão da Copa Sul-Americana.

Com os altos investimentos e bons rendimentos em competições importantes, a chegada de um novo modelo de negócio trouxe mudanças relevantes ao futebol brasileiro. Clubes, federações, e até forças políticas, estão começando a perceber que não existe uma única forma de financiar, não só um elenco, mas toda uma estrutura de um clube — como um CT de alto nível e um estádio organizado.

Créditos: Estruturação e coordenação por Bruno A. Matos

Faça o download do case completo do Red Bull Bragantino abaixo