O acordo

A La Liga, primeira divisão de futebol da Espanha, concordou em vender uma participação de 10% para a CVC Capital Partners por cerca de 3 mil milhões de dólares. As conversas surgiram após a tentativa de alguns dos principais clubes da Europa, incluindo Barcelona e Real Madrid, de formar a Super Liga, a fim de capitalizar sobre o potencial desses clubes de gerar receita.

O acordo entre La Liga e CVC, que já tem laços profundos com esportes, como o Campeonato das Seis Nações, principal competição nacional de rúgbi da Europa, ajudaria a impulsionar as finanças dos clubes atingidos pela pandemia. Entre eles o Barcelona, que anunciou o fim do acordo com Lionel Messi, que estará deixando o clube depois de 21 anos da sua chegada, e em paralelo tenta reestruturar a sua dívida.

Posicionamento do Real Madrid

No entanto, o Real Madrid publicou, nesta quinta-feira (05/08/2021), um comunicado oficial se opondo ao acordo. O clube abre a sua nota dizendo que o acordo foi feito sem seu conhecimento ou concentimento, e sem a disponibilização, por parte da La Liga, de detalhes sobre os termos acordados.

O Real Madrid ainda acusa o acordo de ir contra a lei, se aproveitando de uma “estrutura enganosa” para exceder os limites permitidos de concessão de direitos de imagem dos clubes. Além de tudo isso, trata da ausência de um processo competitivo para chegar ao acordo.

Por fim, o clube ressalta que não pode apoiar um acordo que coloca o futuro de todos os 42 clubes da primeira e segunda divisão da Espanha, além dos clubes que se classificarão eventualmente, nas mãos de investidores.