Um dos setores mais fortes no patrocínio esportivo contemporâneo, os sites de apostas podem ser proibidos de estampar as suas marcas em camisas de clubes da Premier League. Diante do esforço do governo do Reino Unido para frear o negócio de jogos de azar online, a Premier League está pedindo aos clubes que concordem com uma proibição voluntária de novos acordos de patrocínio em camisas de jogo. Com essa medida, a liga espera evitar uma proibição obrigatória do Reino Unido.

Todos os clubes da Premier League votarão sobre uma eliminação gradual dos patrocinadores de camisas de jogo existentes – 14 das 20 equipes da liga são necessárias para que a medida seja aprovada. Se a proposta da Premier League for aprovada, ela entra em vigor a partir da temporada 2023/2024 e os clubes encerrariam todos os acordos existentes em um período de três anos. Na temporada passada, 10 clubes tinham patrocínios de sites de apostas em suas camisas de jogo.

Apesar dos clubes da Premier League serem capazes de encontrar acordos igualmente lucrativos com outras empresas, a EFL Championship, segunda divisão no sistema de ligas do futebol inglês, afirmou que seus clubes perderiam US$ 47,8 milhões por ano. O prejuízo ocorrerá principalmente pelo fato do patrocinador principal da competição ser a Sky Bet, empresa de jogos de azar com sede no Reino Unido.

O governo do Reino Unido está considerando atualizações abrangentes em suas leis sobre jogos de azar para combater o vício e outros problemas relacionados ao jogo. Entre as mudanças relatadas em consideração estão um limite de apostas em cassinos online de US$ 2,40 a US$ 6 por aposta, proibições de jogos que permitem aos usuários perder muito dinheiro muito rapidamente e a proibição de apostas grátis. O governo planeja decidir sobre uma possível proibição obrigatória dos patrocínios de empresas deste setor até 21 de julho.