A Pepsi não manterá o domínio sobre o show do intervalo do Super Bowl. Após o fim do contrato de dez anos, a marca norte-americana de refrigerante e a National Football League (NFL) renovaram o contrato de patrocínio, mas não chegaram a um acordo para manter a parceria para o notório show do intervalo do Super Bowl. Desde 2012, os shows possuíam o nome da empresa no título, como parte do acordo expirado no fim da atual temporada, sendo intitulados como “Pepsi Super Bowl Halftime Show”.  

Em sua última edição, o Pepsi Super Bowl Halftime Show foi estrelado pelos ícones do hip-hop Dr. Dre, Snoop Dogg, Eminem, Mary J. Blige e Kendrick Lamar e gerou uma audiência de 103.4 milhões de espectadores. O recorde de audiência foi registrado no show do intervalo de 2015, em uma performance da cantora Katy Perry, com 120.7 milhões de espectadores.  

Agora, a NFL irá ao mercado em busca de um novo parceiro para o show do intervalo do Super Bowl. Segundo o The Hollywood Reporter, a busca é por um parceiro que ajude a expandir o evento além da apresentação ao vivo de 12 minutos, como um documentário dos bastidores ou conteúdo bônus. De acordo com estimativas, o valor do novo acordo de patrocínio pode variar de US$ 25 milhões (€ 21,6 milhões) a US$ 50 milhões. O acordo anterior da Pepsi, que incluía mais do que o show do intervalo, tinha um valor de US$ 2,3 bilhões em 10 anos. Antes disso, a Bridgestone pagava até US$ 10 milhões por ano. 

Uma parceria com o Super Bowl pode ser uma oportunidade lucrativa. A Pepsi ganhou um total de US$ 9,4 milhões em valor de mídia com o show do intervalo de 2021. Além de receber a maior repercussão em redes sociais, como o Twitter, por três anos consecutivos, em comparação com outros anunciantes do Super Bowl. Os intervalos comerciais de 30 segundos entre a apresentação foram vendidos por US$ 6,5 milhões este ano. 

Novo acordo entre Pepsi e NFL 

Apesar de não renovarem o contrato de patrocínio para o show do intervalo, a Pepsi e a NFL mantiveram a sua parceria de longa data em um novo acordo. Como parte do acordo, que não teve valores e duração divulgados, a Pepsi ativará algumas de suas marcas premium, como Frito-Lay e Gatorade, na NFL.  

A Pepsi também manterá a prioridade para fornecer as bebidas em eventos premium da NFL, incluindo o NFL Draft, enquanto a Gatorade continuará a ser a provedora oficial de desempenho esportivo exclusiva da NFL nos vestiários e nos bastidores. Além do desenvolvimento de um produto pré-treino Gatorade, que será usado pelos jogadores da NFL neste outono e deverá estar disponível para os consumidores em 2023.  

“Depois de 10 anos de performances icônicas no intervalo do Pepsi Super Bowl, decidimos que é hora de passar o microfone”, anunciou a Pepsi em um comunicado oficial pelo Twitter. “Obrigado aos incríveis artistas e fãs que nos ajudaram a criar alguns momentos incríveis ao longo do caminho.  Agora vamos para a próxima fase.”