A final da UEFA Champions League contra o Liverpool no próximo sábado (28) será a quinta em noves anos para o Real Madrid, que chegou às semifinais ou à final em dez das últimas doze edições da Champions, com exceção das eliminações sucessivas nas oitavas de final para o Ajax em 2018/2019 e para o Manchester City em 2019/2020. Em busca de conquistar o seu 14º título europeu e retomar o posto de “Rei da Europa”, o clube merengue conta com a ótima fase do centroavante francês Karim Benzema e a experiência do técnico italiano Carlo Ancelotti. Além das estrelas dos jovens brasileiros Vinícius Júnior e Rodrygo, que foram fundamentais para o Real chegar à final da competição.  

Enfrentar o Liverpool traz boas memórias recentes para o clube espanhol e sua partida. Na final da UEFA Champions League 2018/2019 disputada entre as duas equipes, o Real Madrid, comandado pelo ídolo francês Zinédine Zidane, se tornou o primeiro clube a vencer três edições do campeonato europeu consecutivas por duas vezes em sua história. Além disso, o clube merengue eliminou o time inglês no último confronto entre os clubes, pelas quartas de final da Liga dos Campeões 2020/2021. 

Gareth Bale faz gol de bicicleta na final (Foto: David Ramos/Getty Images)

Retrospectiva Champions League 2021/2022 

Campeão do campeonato espanhol desde a 34ª rodada da competição, o Real Madrid tem direcionado todo o seu foco para a final da Champions League desde o início de maio. Para chegar até a grande final, o Real fez verdadeiros testes para cardíacos em seus torcedores. Uma vez que as classificações das oitavas, quartas e semifinal foram construídas na reta final da partida, com as duas últimas fases sendo definidas apenas na prorrogação.  

Na fase de grupos, o Real Madrid fez uma campanha quase exemplar, vencendo cinco dos seis jogos que disputou no Grupo D, com excepção de uma espantosa derrota por 2 a 1 em casa para o estreante FC Sheriff, da Modálvia, terminando em primeiro no seu grupo. Porém, a emoção estava apenas começando para a torcida madrilenha. 

Nas oitavas, os espanhóis eliminaram o PSG de Neymar, Messi e Mbappé com direito a show particular de Benzema. O francês anotou três gols em 17 minutos no jogo da volta, em Madrid, após o Real Madrid perder por 1 a 0 em Paris e sair perdendo por 1 a 0 logo no início do jogo na Espanha, ao sofrer um golaço de Mbappé na metade inicial do primeiro tempo.  

No duelo seguinte, foi a vez de desbancar o atual campeão Chelsea. Após vencer por 3 a 1 no jogo de ida – com mais um “hat trick” de Benzema –, em Londres, o sufoco aconteceu em casa. O Real perdia por 3 a 0 até os 34 minutos do segundo tempo e estava perto de ser eliminado. Porém, a estrela do jovem jogador brasileiro Rodrygo brilhou para marcar um precioso gol que levou o clube à prorrogação. No primeiro tempo do tempo complementar, a experiência de Benzema fez a diferença para decidir mais uma vez e levar o Madrid às semifinais. 

Foto: Divulgação / Real Madrid

Porém, o momento mais próximo de uma eliminação para o Real aconteceu no confronto com o Manchester City, na volta da semifinal. Após perder por 4 a 3 na Inglaterra e novamente sair perdendo por 1 a 0 em casa, o time espanhol precisava de dois gols para levar a partida para prorrogação. Novamente, brilhou a estrela de Rodrygo, que saiu do banco para fazer dois gols em dois minutos já nos acréscimos do segundo tempo. No tempo extra, Benzema repetiu o roteiro e decidiu mais uma vez, convertendo um pênalti sofrido por Rodrygo e carimbando a presença do Real Madrid na final da Champions League. 

Aproveitamento em finais da Champions 

No total, o Real Madrid já disputou 17 finais da Champions League (contando com a próxima a ser disputada). O clube espanhol é o recordista disparado, contra 11 finais disputadas pelo Milan. O mais impressionante é que o time merengue perdeu apenas três destas finais. Confira abaixo o aproveitamento do Real Madrid em finais continentais:

  • 1955/56: Real Madrid 4×3 Reims 
  • 1956/57: Real Madrid 2×0 Fiorentina 
  • 1957/58: Real Madrid 3×2 AC Milan  
  • 1958/59: Real Madrid 2×0 Reims 
  • 1959/60: Real Madrid 7×3 Eintracht Frankfurt 
  • 1961/62: Benfica 5×3 Real Madrid 
  • 1963/64: Inter 3×1 Real Madrid 
  • 1965/66: Real Madrid 2×1 Partizan 
  • 1980/81: Liverpool 1×0 Real Madrid 
  • 1997/98: Real Madrid 1×0 Juventus 
  • 1999/00: Real Madrid 3×0 Valencia 
  • 2001/02: Real Madrid 2×1 Bayer Leverkusen 
  • 2013/14: Real Madrid 4×1 Atlético de Madrid 
  • 2015/16: Real Madrid 1×1 Atlético de Madrid (5×3 nos pênaltis) 
  • 2016/17: Real Madrid 4×1 Juventus 
  • 2017/18: Real Madrid 3×1 Liverpool 

Recordes em jogo 

Além de confirmar a freguesia do Liverpool, uma vitória no próximo sábado pode isolar ainda mais o Real Madrid na liderança do ranking dos maiores campeões da história da UEFA Champions League. Atualmente com 13 títulos, o Real pode conquistar a 14ª e se afastar ainda mais de equipes como Milan, Bayern de Munique e o próprio Liverpool, que possuem 7, 6 e 6 títulos conquistados, respectivamente. Por outro lado, se perder a final, verá o Liverpool assumir o segundo lugar do ranking, junto ao Milan, e se aproximar ainda mais do maior campeão da Europa.  

Além disso, essa será a primeira final disputada pelo clube após a saída de Cristiano Ronaldo em 2018, um dos maiores ídolos de sua história. Porém, se não tem o astro português, o Real Madrid pode contar com um craque francês: Karim Benzema. Os dez gols marcados pelo francês na fase de mata-mata não só levaram o clube para final, como também igualaram o recorde de Cristiano Ronaldo na campanha vitoriosa de 2016/2017. O camisa nove ainda pode alcançar o português como o maior artilheiro de uma única edição da Liga dos Campeões, se marcar dois gols na final contra o Liverpool e chegar a 17 gols nesta edição do torneio.  

Ancelotti e Benzema (Foto: Action Plus/Imago/One Football)

Para tentar o 14º título na Champions League, o time merengue conta com a experiência do também recordista Carlo Ancelotti, que foi o responsável pelo décimo troféu do Madrid. Ancelotti é o primeiro treinador a liderar uma equipe em cinco finais da Champions League e vai em busca de se tornar o treinador mais vezes campeão da competição. Atualmente, ele compartilha a marca de três conquistas com o ex-técnico do Real Madrid, Zinédine Zidane, e o ídolo do Liverpool, Bob Paisley. Uma vitória também faria de Ancelotti o primeiro treinador a vencer a Champions League duas vezes com mais de um clube. 

Brasileiros em alta  

O Real Madrid é conhecido historicamente por montar elencos galácticos, com os maiores nomes do futebol mundial e, frequentemente, com grandes jogadores brasileiros. No elenco da temporada 2021/2022 não é diferente, além de nomes consagrados, o elenco do Real Madrid possui jogadores brasileiros, que estão em alta e sendo fundamentais para o bom desempenho da equipe na temporada.  

Foto: Fayez Nureldine/AFP

Entre os brasileiros em alta, estão o zagueiro Éder Militão, titular absoluto no time de Ancelotti e xerife da zaga merengue; o volante Casemiro, que, apesar de ter sido sacado do time titular em partidas importantes, demonstrou a sua importância para a equipe em jogos decisivos da fase de mata-mata da Champions League; o atacante Vini Júnior, que, após temporadas instáveis na Espanha, se consagrou como titular da equipe merengue, formando uma dupla de ataque de muita sintonia com Benzema e registrando 17 gols e 13 assistências na temporada até o momento.

Além, é claro, da joia Rodrygo, que, apesar de ainda não ter cativado o seu lugar como titular absoluto na equipe de Ancelotti, foi extremamente importante para a chegada do Real Madrid à final, sendo, juntamente com Benzema, o herói da classificação nas partidas contra Manchester City e Chelsea.  

Provável escalação 

Baseado nas últimas escalações utilizadas por Carlo Ancelotti nas partidas decisivas da reta final da atual temporada, o Real Madrid deverá ir a campo para a final da Champions com a seguinte escalação:  

Courtois; Carvajal, Éder Militão, Alaba (Nacho Fernández), Mendy; Kroos, Casemiro (Camavinga), Modric; Rodrygo (Valverde), Benzema e Vini Jr.