Os estaduais sempre tiveram grande importância para o desenrolar de uma temporada para os clubes brasileiros. Seja com o panorama financeiro, a confiança ou até entendimento do próprio time. Antes do início do Campeonato Brasileiro, costumamos tratar como favoritas as equipes que vêm de bom desempenho nos campeonatos estaduais, como nesse ano é o caso do Atlético Mineiro e Palmeiras. É esperado que os times com melhores rendimento nos campeonatos regionais briguem pelos campeonatos ao longo de todo o ano, como aconteceu nas últimas temporadas, e, para uma boa análise prévia do preparo e expectativa de cada um dos times do Campeonato Brasileiro de 2022, é importante traçar uma retrospectiva do que foi cada time em seu respectivo estadual. Então confira agora alguns dos principais torneios regionais/estaduais e a performance dos clubes que disputarão o Brasileirão desse ano.

Copa do Nordeste

E com mais uma edição espetacular do campeonato, o Fortaleza bateu o Sport por 1 a 0 no Castelão após empate na Ilha do Retiro em 1 a 1, se sagrando, pela segunda vez em sua história, campeão da “Lampions”. Com a premiação de 3,5 milhões de reais, somada aos mais de 2,4 milhões de reais arrecadados em cotas de transmissão e bilheteria, sendo 1,3 milhões apenas na final que contou com 64 mil pagantes, o Leão do Pici acumulou mais de 5,9 milhões de reais com a competição. O alto faturamento conforta a boa situação financeira do clube, que deseja brigar por uma boa colocação no brasileiro, e se sair bem na primeira Libertadores que o time participa. A derrota logo na primeira rodada do Campeonato Brasileiro não abala, visto que o título da Copa do Nordeste anima a torcida, que ainda está confiante para mais uma temporada que, novamente, promete surpreender quem ainda duvida do potencial nordestino.

Quanto ao outro lado do estado, o Ceará surpreendeu negativamente, caindo nos pênaltis para o CRB após empate sem gols, sendo eliminado nas quartas de final da competição e dando adeus ao sonho do bicampeonato consecutivo da “Lampions”. Apesar do faturamento de 2 milhões de reais, que não cumpre as expectativas financeiras do clube, e da eliminação precoce, o torcedor encontra-se confiante após derrotar, por 3 a 2, o atual campeão paulista, Palmeiras, em sua própria casa, pela primeira rodada do Brasileirão.

Paulista

E por falar no atual campeão paulista, o Palmeiras, a derrota na primeira rodada do Brasileirão não é motivo de crise, considerando que o time vem de uma goleada em cima do rival, São Paulo, por 4 a 0, acompanhada do emocionante título do estadual. Após perder o primeiro jogo por 3 a 1, o verdão atropelou em casa e reverteu o placar em uma goleada, que em meio a tanto faturamento dos anos anteriores, teve valor mais significativo na questão moral, por golear o rival na final, do que na questão financeira em si, já que a premiação do campeonato é de 5 milhões de reais, quantia que não representa nem 1% do que foi arrecadado pelo Palmeiras em 2021 ( R$ 950 milhões ). Diante o bom retrospecto que a equipe vem tendo, a expectativa do torcedor e da diretoria é a conquista de, pelo menos, mais um título de expressão.

O time perdedor da final, por sua vez, aplica a humilhante goleada que sofreu, em cima do Athletico Paranaense pela primeira rodada do Brasileirão, com direito a hat-trick do argentino Calleri. Apesar de ter o emocional relativamente abalado, a equipe tratou o início do campeonato brasileiro como, de fato, uma nova etapa na temporada, aplicando uma sonora goleada que anima o torcedor, esperançoso por algum título, seja a Sulamericana, Copa do Brasil ou até mesmo o próprio Brasileirão. Apesar de derrotado, o São Paulo surpreendeu ao chegar na final, não só por superar a meta econômica que o clube esperava para o campeonato, mas também pelo ótimo desempenho dentro de campo, efetuado pelo ídolo Rogério Ceni.

Ao contrário dos dois rivais citados, a fase que o Corinthians se vê após o Campeonato Paulista é preocupante. Sem ganhar nenhum clássico, parar na semifinal e não atingir a meta financeira, o timão ainda foi alvo de protestos em frente ao seu centro de treinamento. Sob um clima nada agradável, os jogadores corintianos responderam às ameaças da torcida em campo, através de uma boa vitória fora de casa sob o Botafogo, pelo placar de 3×1, na primeira rodada do Brasileirão. Sem paciência, os torcedores fiéis esperam uma melhor performance do time em suas partidas e cobram dos “medalhões” que joguem o que foi prometido pela diretoria, e que correspondam aos seus altos salários.

Apesar de, assim como o Corinthians, ter parado nas semifinais, o clima no Bragantino é agradável, visto que o projeto da Red Bull foi organizado com consciência econômica, e diferente de diversos clubes brasileiros, não há urgência quanto a conquista de títulos e retorno financeiro. Em relação ao âmbito esportivo, espera-se uma boa performance do braga bull, que tem uma equipe bem montada e busca espaço entre os grandes tradicionais brasileiros.

Ao contrário do Red Bull Bragantino, a organização é o que mais falta no time do Santos, que parou antes mesmo do mata-mata, e, pelo segundo ano seguido, ficou a pontos da zona de rebaixamento. A situação preocupa o torcedor, que quer acreditar, mas a realidade passada não condiz com a atual, e por conta da má gestão do clube, a expectativa do clube não é grande nas competições que vão disputar. Além do péssimo futebol apresentado ao longo do campeonato, abandonando o DNA ofensivo e, na maioria dos jogos, apenas se defendendo, o peixão apresenta dificuldades financeiras para montar seu plantel, e a baixa arrecadação com bilheteria e premiação atrasam-os mais ainda.

Carioca

Em solo carioca pintou um novo campeão. Depois de 3 títulos consecutivos ganhos pelo Flamengo, em 2022 o domínio do mengão chegou ao fim. Após ser derrotado pelo o Fluminense na final do Carioca, perdendo de  3 a 1 no placar agregado – um primeiro jogo de ida intenso terminado em 1 a 1 e um jogo de volta com vitória do tricolor por 2 a 0 – o time vive um clima de muita tensão dentro e fora do clube. Sob o comando do novo técnico português Paulo Sousa, o Rubro-Negro passa por uma crise interna que não vêm agradando seus torcedores. 

O problema nem se enquadra na questão financeira, o time do Rio de Janeiro terminou o ano de 2021 no superávit e vêm mantendo uma boa administração econômica nos últimos anos. No entanto, a pressão por um alto desempenho é enorme, os torcedores não conseguem se desfazer do período vitorioso de 2019 e por isso, Paulo Sousa convive com a sombra do idolatrado técnico Jorge Jesus. Com a segunda final consecutiva perdida no ano, sendo a primeira a derrota para o Atlético Mineiro na Supercopa, o Flamengo que costuma ser um dos mais cobiçados ao título nos últimos anos, começa o Brasileirão com o pé esquerdo, empatando fora de casa com o Atlético Goianiense e desmoralizado com o mal desempenho.

Já o campeão do Carioca, o fluzão, começa seu ano em alto astral. Após 10 anos sem vencer o campeonato estadual, o Fluminense carrega boas expectativas para esse ano de 2022. Com um novo time recheado de reforços de peso, juntamente do comando do técnico Abel Braga, o Flu espera uma campanha digna no campeonato brasileiro deste ano. Apesar de ter sido eliminado na pré-libertadores para o Olímpia do Paraguai – eliminação essa que não saiu barato para seus torcedores – o clube carioca atravessa um bom momento após levantar o caneco em cima do seu maior rival o que motivou os torcedores bem como o time para a nova temporada. A estreia foi marcada por um empate amargo com o Santos pelo placar de 0 a 0, mas que não passou batida, afinal o tricolor dominou o jogo e mostrou superioridade.

Para o Botafogo, o mais recente clube a se tornar uma SAF, precisará de uma palavra para esse ano: paciência. O investimento milionário do norte-americano John Textor, dono de 90% da SAF, não terá resultado imediato em seus primeiros jogos. Como o próprio John explica em uma entrevista concedida ao GE, é necessário aprimorar primeiramente em questões de infraestrutura do clube e que o processo será contínuo e progressivo para que então o Botafogo alcance patamares de maior nível nacional. Os 350 milhões de reais estimados no contrato firmado já surtiram efeito, novos jogadores chegaram ao elenco, entre eles o jovem ex-palmeiras Patrick de Paula, volante contratado por 33 milhões de reais, contratação mais cara da história do clube. Mesmo perdendo na semifinal do estadual para o campeão Fluminense e também estrear com derrota em casa no nacional contra o Corinthians, o Botafogo pode esperar um futuro promissor diante do novo cenário econômico do clube.

Mineiro

Pelo campeonato mineiro o Atlético se sagrou campeão pela terceira vez seguida vencendo o Cruzeiro por 3 a 1. O time que é campeão da última edição do Brasileirão, promete mais um ano disputando a parte de cima da tabela, a base do time que conquistou o Brasileirão do último ano se mantém a mesma e parece não ter perdido seu ritmo de vitórias, visto que conta com um aproveitamento de 84,4% na atual temporada. Com a conquista do campeonato mineiro, o Galo já começa o ano de 2022 com seu segundo título, após a conquista da Supercopa em cima do Flamengo. Com vitória na estreia, o Atlético de Antonio Mohamed superou o Internacional batendo o time sulista em casa por 2 a 0. Para o Galo, a conquista do Mineiro soou como a afirmação de que o clube pode repetir a boa bola jogada de 2021.

Em outros estaduais, como o paranaense, o Coritiba quebrou a seca de 5 anos sem vencer a competição da melhor forma, atropelando tudo e todos na sua frente, com um ataque fulminante que soma, nesse começo de temporada, 22 gols. Ao contrário de seu maior rival, o Athletico Paranaense, vive uma crise, e, logo na primeira rodada do campeonato, demitiu seu treinador, Alberto Valentim, que foi goleado por 4 a 0 pelo São Paulo, que desde outubro no time teve um aproveitamento de 38%. 

O caso de demissão precoce também apareceu no América Mineiro, que mesmo após se classificar para a sua primeira Libertadores e viver uma das melhores temporadas da história do clube no ano passado, demitiu o técnico Marquinhos Santos, que perdeu na primeira rodada do campeonato para a equipe considerada mais fraca da competição, o Avaí, que vem de um péssimo estadual, com eliminação precoce e péssimo futebol apresentado.

Por Gabriel Katz e Pedro Penna