O Draft da NBA 2022 acontecerá nesta quinta-feira, dia 23 de junho, no Barclays Center, Brooklyn. Responsável por trazer novas estrelas à maior liga de basquete do mundo, o Draft reúne os melhores jovens atletas no mundo do basquete e gera grande expectativa para os fãs, animados para acompanhar mais uma temporada e a construção de seus times. O evento ocorre anualmente e é um divisor de águas nas futuras temporadas de cada time.

O evento será transmitido ao vivo nesta quinta-feira (23), às 20hs, no canal de TV fechada ESPN2 e nas plataformas de streaming StarPlus e NBA League Pass.

Como funciona o Draft da NBA?

Muito mais do que um simples evento, o Draft da NBA é um momento determinante para os times da liga. De maneira equilibrada, as equipes de ambas as conferências se reúnem para selecionar os jovens promissores da “classe” do ano. Diferentemente de outras modalidades desportivas, que assinam com jovens jogadores os alocando em categorias de base, as ligas esportivas norte-americanas optam por nivelar as oportunidades, tornando possível um mesmo jogador assinar com qualquer uma das franquias.

O Draft é realizado da seguinte forma:

  • Cada um dos 30 times da NBA têm, inicialmente, o direito de uma escolha de jogador a cada rodada. Porém, outras equipes podem negociar esse direito em troca de trades, incluindo jogadores ou oportunidades de escolhas em drafts futuros.
  • O recrutamento tem duração de 2 rodadas, ou seja, um total de 60 escolhas de talentos promissores.
  • Os calouros com mais de 19 anos que concluíram o colegial podem se inscrever para o evento. Eles são acompanhados de perto por olheiros das diferentes franquias, que já filtram antecipadamente aqueles que podem assegurar uma vaga no time.
  • Jogadores que não são escolhidos se tornam free agents e podem assinar com qualquer time sem precisar passar pelo mesmo processo.

Lendas vindas diretamente do ‘High School’

As histórias de lendas como Kobe Bryant e Lebron James são usadas de inspiração para muitos novos jogadores que têm o sonho de jogar na NBA. Entretanto, a forma que estas lendas ingressaram na liga não é algo que pode ser replicado desde a implementação da “one and done rule”, em 2006. Antes, os jogadores poderiam ser “draftados” diretamente do High School (Ensino Médio norte-americano), mas, com a nova regra, eles devem esperar ao menos um ano após formados e já ter completado 19 anos até o início da temporada para se tornarem elegíveis.

(Foto: Getty Images)

A mudança no regulamento visou o maior desenvolvimento dos jogadores antes de entrarem na liga, em relação tanto ao nível de jogo quanto ao desenvolvimento pessoal, já que os atletas tem a oportunidade de se desenvolverem melhor durante a faculdade. Ainda que o comissário da NBA, Adam Silver, tenha feito pronunciamentos contrários à regra nos últimos anos, ela se mantém para o Draft de 2022.

Ordem das escolhas dos times

Em relação à ordem de escolha dos times no Draft, uma regra padrão para os esportes norte-americanos facilita esse processo de escolha, visando construir um equilíbrio entre as equipes. A ordem de escolha é realizada de maneira que os piores times da temporada tenham acesso à tão sonhada primeira escolha, assim equalizando os níveis dos elencos para a próxima temporada. Dessa forma, o último colocado na temporada regular da NBA tem acesso direto à primeira escolha, o penúltimo à segunda escolha e assim por diante. Infelizmente, alguns times têm forçado desempenhos ruins para obter as escolhas mais altas e isso acabou enfraquecendo esse modelo de escolhas. Para resolver esse problema, o draft da NBA utiliza um sistema de loteria, para que não necessariamente o último time seja o detentor da primeira escolha e assim evitar o “tanking”.

A loteria do Draft é um sorteio feito pela NBA, para definir quais times ficam com as primeiras 4 escolhas do Draft, realizado com todas as equipes que ficaram de fora dos playoffs (14 no total). As 3 franquias com as piores campanhas possuem 14% de chance de obterem a primeira seed, essa porcentagem vai diminuindo gradativamente até o 14º time. Após as 4 primeiras escolhas serem sorteadas, a partir da 5º escolha em diante há uma regra padrão: do pior ao melhor time da última temporada. No dia 17 de maio, a loteria do Draft da NBA 2022 foi realizada e as franquias de Orlando, Oklahoma City, Houston e Sacramento obtiveram as 4 primeiras escolhas, respectivamente. Confira abaixo a ordem completa das escolhas dos times:

PosiçãoTime Dono da Escolha
1Orlando Magic
2Oklahoma City Thunder
3Houston Rockets
4Sacramento Kings
5Detroit Pistons
6Indiana Pacers
7Portland Trail Blazers
8New Orleans Pelicans (via Los Angeles Lakers)
9San Antonio Spurs
10Washington Wizards
11New York Knicks
12Oklahoma City Thunder (via Los Angeles Clippers)
13Charlotte Hornets
14Cleveland Cavaliers
15Charlotte Hornets (via New Orleans Pelicans)
16Atlanta Hawks
17Houston Rockets (via Brooklin Nets)
18Chicago Bulls
19Minnesota Timberwolves
20San Antonio Spurs (via Toronto Raptors)
21Denver Nuggets
22Memphis Grizzlies (via Utah Jazz)
23Philadelphia 76ers
24Milwaukee Bucks
25San Antonio Spurs (via Boston Celtics)
26Houston Rockets (via Dallas Mavericks)
27Miami Heat
28Golden State Warriors
29Memphis Grizzlies
30Denver Nuggets (via Phoenix Suns)

Possíveis escolhas de cada time no Draft NBA 2022

O Draft da NBA 2022 é recorrentemente avaliado por especialistas como “Top 3 heavy”, isto é, existe uma considerável distância de expectativa pelos três primeiros jogadores, se comparados aos demais. São eles: Jabari Smith, de Auburn, Chet Holmgren, de Gonzaga, e Paolo Banchero, de Duke. Ainda existe algum grau de incerteza quanto à posição em que esses serão escolhidos, mas, em matéria publicada pelo site The Playoffs, Smith é apontado como a primeira escolha, draftado pelo Orlando Magic, Holmgren como segundo, para o Oklahoma City Thunder, e Banchero na terceira posição, para o Houston Rockets. Segundo o site, a projeção da lottery completa seria:

PosiçãoTime Dono da EscolhaJogador Projetado
1Orlando MagicJabari Smith
2Oklahoma City ThunderChet Holmgren
3Houston RocketsPaolo Banchero
4Sacramento KingsJaden Ivey
5Detroit PistonsShaedon Sharpe
6Indiana PacersKeegan Murray
7Portland Trail BlazersBennedict Mathurin
8New Orleans PelicansDyson Daniels
9San Antonio SpursOusmane Dieng
10Washington WizardsJohnny Davis
11New York KnicksJalen Duren
12Oklahoma City ThunderA.J. Griffin
13Charlotte HornetsJeremy Sochan
14Cleveland CavaliersMalaki Branham

É evidente que essa é apenas uma projeção do que ocorrerá, pois não é possível ter pleno conhecimento das intenções de cada um dos 30 times para que se saiba claramente quem será o escolhido por cada time.

Primeiras escolhas do Draft da NBA nos últimos anos

Os jogadores escolhidos em primeiro lugar são, logicamente, aqueles que os times acham que terão melhor desempenho. Algumas das escolhas acabam por “valer a pena”, enquanto outras não passam apenas de uma grande promessa.

Ao analisar as primeiras escolhas dos últimos 10 anos, é possível notar que apenas Anthony Davis se tornou um All-Star, ou seja, esteve entre os 5 melhores da liga, em, pelo menos, uma das temporadas disputadas. O caso de Andrew Wiggins também deve ser ressaltado, pois, na época em que foi draftado, os analistas diziam que seria “o novo Jordan”, mas, até a temporada 2021-22, o jogador não tinha muitos momentos memoráveis. Entretanto, após as NBA Finals de 2022, o jogador demonstrou seu valor ao ter importante papel na vitória dos Warriors.

(Foto: NBC Sports)

O Philadelphia 76ers tem nome de destaque quando se fala de draft, pois o time vem vivenciando uma (tentativa de) reconstrução durante os últimos anos. O slogan “Trust the Process”, foi criado pelo time para manter seus fãs pacientes enquanto o time chama novos talentos através do Draft, como foi o caso de Markelle Fultz e Ben Simmons, em 2016 e 2017. O “processo” vem mostrando resultado, ainda que lentamente, uma vez que, na última temporada (2021-22), o time chegou aos playoffs em 4º lugar na conferência leste e foi eliminado nas semifinais de conferência pelo Miami Heat. Além disso, na temporada de 2020-21, os 76ers ficaram em 1º lugar na conferência Leste, sendo eliminados também nas semifinais de conferência pelo Atlanta Hawks.

Outros jogadores draftados em 1º lugar são os Hall of Famers Magic Johnson (1979 – Los Angeles Lakers), Shaquille O’Neal (1992 – Orlando Magic) e Allen Iverson (1996 – Philadelphia 76ers). Nomes como o de Lebron James também aparecem em 1º lugar, no Draft de 2003, pelo Miami Heat, onde James ganhou 2 de seus títulos. Confira a tabela com as primeiras escolhas dos últimos anos:

AnoJogadorFaculdadeTime
2021Cade CunninghamOklahoma StateDetroit Pistons
2020Anthony EdwardsGeorgiaMinnesota Timberwolves
2019Zion WilliamsonDukeNew Orleans Pelicans
2018DeAndre AytonArizonaPhoenix Suns
2017Markelle FultzWashingtonPhiladelphia 76ers
2016Ben SimmonsLSUPhiladelphia 76ers
2015Karl-Anthony TownsKentuckyMinnesota Timberwolves
2014Andrew WigginsKansasCleveland Cavaliers
2013Anthony BennettUNLVCleveland Cavaliers
2012Anthony DavisKentuckyNew Orleans Hornets

Jogadores de destaque draftados em posições baixas

Recorrentemente, a grande atenção do público durante o Draft é mantida apenas nas escolhas de primeira rodada e, especialmente, nas primeiras escolhas. O que é esperado, já que nelas são draftados os jogadores que geram a maior expectativa dos torcedores. Apontados como os dois maiores jogadores de todos os tempos, Lebron James e Michael Jordan foram, respectivamente, a primeira e a terceira escolhas de seus drafts (2003 e 1984).

Contudo, tem se tornado cada vez mais comum encontrar jogadores extremamente valiosos em posições distantes das primeiras escolhas. Grandes exemplos na história recente da NBA são Nikola Jokic, pivô do Denver Nuggets, atual duas vezes MVP da liga, que foi apenas a 41ª escolha do Draft da NBA de 2014, e Draymmond Green, ala-pivô quatro vezes campeão pelo Golden State Warriors e eleito Defensor do Ano em 2017, que foi a 35ª escolha do Draft de 2012. Entretanto, o exemplo mais lembrado pelos torcedores da NBA é o de Manu Ginobili, armador argentino multicampeão pelo San Antonio Spurs, que foi a 56ª escolha, estando entre as cinco últimas escolhas do Draft da NBA de 1999.

Por Gabriel Katz, Giovana Guerreiro, Igor Fernandes e João Bianchi