Na próxima quinta-feira, dia 2 de junho, será iniciada a 75ª NBA Finals, que será decidida em um confronto bastante aguardado entre Golden State Warriors, de Stephen Curry, e Boston Celtics, de Jayson Tatum. A disputa, que consagra o fim dos playoffs, é marcada pela reaparição da dinastia de Golden State, que chega a sua sexta final em oito anos, e pelo retorno da franquia celta às finais pela primeira vez em 12 anos.

Polêmicas nas NBA Finals

Nas últimas semanas, as finais da NBA ganharam grande destaque na mídia, por se tratar de um dos maiores eventos esportivos do mundo. Entretanto, no dia do jogo 6 das finais da Conferência Leste, disputada entre Boston Celtics e Miami Heat, uma fala de Draymond Green, ala-pivô do Golden State Warriors, foi o que ganhou a atenção do público. Após garantir a vaga na final, ao ser questionado pelo astro e ex-jogador da NBA, Shaquille O’Neal, durante um programa da TNT, Green afirmou que jogaria contra os Celtics na final.

Draymond Green, do Golden State Warriors (Foto: Getty Images)

A declaração teve bastante repercussão, pois muitos jogadores, principalmente do Miami Heat, consideraram a fala antiética: “Green quebrou um código”, disse Udonis Haslem, pivô do Miami Heat. Outros jogadores, como PJ Tucker, também se manifestaram contra o pronunciamento de Draymond. Udonis, inclusive, o “agradeceu”, após a vitória do time que forçou o jogo 7. Apesar de ter sido discutivelmente desrespeitoso, Green acertou na previsão e agora o Golden State enfrenta o Boston na NBA Finals.

Golden State Warriors

Após lesões de seus grandes jogadores, como Kevin Durant, Klay Thompson e Stephen Curry, ao longo de 2019, o time de São Francisco se afastou das finais por 2 anos consecutivos, quebrando a sequência de 5 anos consecutivos participando do evento. Além disso, o time se viu com a pior campanha da liga na temporada de 2019-20, seguinte ao vice campeonato em 2018-19, ao vencer apenas 15 jogos durante toda a temporada regular. Em 2020-21, Curry voltou às quadras e o time chegou ao play-in, porém foi derrotado.

NBA Finals: o que esperar das partidas decisivas?
Foto: NBA/Twitter

Na temporada de 2021-22, o time viu a volta de Klay Thompson, a evolução de Jordan Poole e de Kevon Looney e a adaptação de Andrew Wiggins ao time. Apesar da necessidade de adaptação com a volta de Thompson, o jogador é um dos grandes pilares para o bom desempenho do time da California: Klay consegue ser decisivo em momentos essenciais para o time, como em viradas no último quarto ou nos famosos “jogos 6” das séries.

A volta dos Splash Brothers junto com Green, somada aos outros jogadores, como Looney e Poole, jogando basquete no mais alto nível, resultaram na campanha de 53 vitórias nessa temporada, garantindo o  terceiro lugar na Conferência Oeste. Além disso, o desempenho dominante do time durante os playoffs foi incontestável. O time venceu 2 das 3 séries dos playoffs por 4-1, ganhando do Denver Nuggets e do Dallas Mavericks, equipes que demonstraram ótimo desempenho durante a temporada.

As semifinais da conferência contra o Grizzlies foram o maior desafio do time, já que a série foi decidida somente no jogo 6, em que Klay Thompson reiterou sua dominância. Dessa forma, a volta do time às NBA Finals é reflexo de uma temporada regular e consistente e do desempenho dominante nos playoffs, o que promete jogos em mais alto nível na decisão da temporada.  

Boston Celtics

A campanha do Boston até chegar às finais da NBA foi surpreendente para quem acompanhou a temporada regular só pela metade. O time liderado pelos alas Jayson Tatum e Jaylen Brown iniciou a temporada regular com 18 vitórias e 21 derrotas, trazendo enorme pressão para o técnico novato Ime Udoka. Após início decepcionante, o time viu o crescimento do veterano Al Horford, aliado à força defensiva do armador Marcus Smart e do pivô Robert Williams III, dar suporte para os astros da equipe, que terminou a temporada regular na segunda posição da conferência leste, com 51 vitórias e 31 derrotas. Boston ainda foi dono da melhor defesa da NBA, com um desempenho que rendeu a Marcus Smart o título de melhor defensor da temporada.

NBA Finals: o que esperar das partidas decisivas?
Foto: NBA/Divulgação

Apesar de um final de temporada regular e bastante promissor da equipe celta, muitos analistas e torcedores apontaram o Brooklin Nets como favorito para o confronto de primeira rodada da conferência Leste. O time de Nova York, liderado por Kevin Durant e Kyrie Irving, era o mais bem cotado nas casas de aposta para ser campeão da NBA, mas o resultado foi drasticamente oposto. O Boston Celtics venceu o duelo em apenas 4 partidas, com 4 vitórias consecutivas marcadas pela grande força de marcação sobre Kevin Durant e pelo poder de decisão de Tatum, que fez a cesta vencedora no estouro do cronômetro no primeiro jogo entre os dois.

Já nas semifinais de conferência, agora contra o campeão da NBA do ano anterior, o Milwaukee Bucks de Giannis Antetokounmpo. Apesar da equipe não contar com o lesionado Khris Middleton, a tarefa não foi tão simples. Em disputa marcada por incrível equilíbrio, foi apenas no sétimo jogo que Boston conseguiu avançar. Em uma partida dominante, a vitória por 109 a 81 garantiu a vaga para as finais da conferência.

As finais da conferência leste, contra o Miami Heat, impuseram novamente um confronto bastante difícil para os Celtics, em que novamente foram necessários 7 jogos, com um final muito disputado no jogo 7. Em um arremesso de 3 de Jimmy Butler, estrela da equipe, o Miami teve a chance de liderar com apenas 20 segundos para o fim da partida. Porém, o erro de Butler garantiu a presença do Boston na NBA Finals e a chance de conseguir mais um título para a franquia mais vencedora da história da NBA, que não vence uma edição desde 2008.

Times mais vezes campeões da NBA

Com seus 75 anos de história, a NBA já viu diversos de seus times serem campeões. Entretanto, entre os 30 times da liga, 11 deles nunca foram campeões, sendo que 6 destes nunca chegaram ao menos às finais. Com a competitividade observada na liga nos últimos anos e o espaço que novos times não considerados “favoritos” vem ganhando, times que nunca ganharam as finais deixaram a amarga lista ao se tornarem campeões, como o Toronto Raptors, em 2019, e o Cleveland Cavaliers, em 2016.

  • Charlotte Hornets*
  • Denver Nuggets*
  • Los Angeles Clippers*
  • Memphis Grizzlies*
  • Minnesota Timberwolves*
  • New Orleans Pelicans*
  • Brooklyn Nets
  • Indiana Pacers
  • Phoenix Suns
  • Orlando Magic
  • Utah Jazz

*Nunca chegaram às finais

As finais de 2021 também ilustram a crescente competitividade, uma vez que ambos os times, Milwaukee Bucks e Phoenix Suns, não apareciam na série da NBA Finals há pelo menos 20 anos. A última aparição do Suns havia sido em 1993, enquanto os Bucks chegaram às finais pela última vez em 1974, mas se consagraram campeões e quebraram a seca em 2021. Além disso, a disputa quebrou a sequência de 5 finais consecutivas que o Golden State Warriors vivenciava, o que também demonstra a ascensão de novos times.

Apesar de ter uma estrutura que permite que novos times cheguem às finais, a NBA também já viu grandes times serem campeões em mais de uma ocasião: o primeiro lugar dos maiores campeões é ocupado por Boston Celtics e Los Angeles Lakers, com 17 títulos cada. O Boston Celtics conta com 21 aparições em finais e, agora, passará a contar com 22. Além de deter o recorde de maior número de vitórias consecutivas, ao ganhar as 8 finais que participou entre os anos de 1959 e 1966. Já a equipe de Los Angeles é a recordista de aparições em finais, número de títulos e vice campeonatos, ao somar 32 aparições em NBA Finals, decorrentes principalmente da Era “Showtime”, seus anos antecedentes, e da época de Kobe Bryant.

Em segundo lugar, Warriors e Chicago Bulls ficam empatados, com 6 troféus cada um. Todas as aparições dos Bulls nas NBA Finals foram durante a Era Jordan e, em todas as ocasiões, foram campeões, totalizando zero vice campeonatos. Já o GSW, apareceu 10 vezes em Finais, 11 com a de 2022, sendo 7 delas como Golden State Warriors, 2 como San Francisco Warriors e 2 como Philadelphia Warriors. O terceiro lugar pertence ao San Antonio Spurs, que ganhou o troféu 5 vezes e apareceu em finais em 6 ocasiões.

TimesAparições em Finais Títulos Anos em que foi campeão
Los Angeles Lakers 32 17 1949, 1950, 1952, 1953, 1954, 1972, 1980, 1982, 1985, 1987, 1988, 2000, 2001, 2002, 2009, 2010 e 2020
Boston Celtics 22 17 1957, 1959, 1960, 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1966, 1968, 1969, 1974, 1976, 1981, 1984, 1986 e 2008
Golden State Warriors 11 6 1947, 1956, 1975, 2015, 2017 e 2018
Chicago Bulls 6 6 1991, 1992, 1993, 1996, 1997 e 1998
San Antonio Spurs 6 5 1999, 2003, 2005, 2007, e 2014
Philadelphia 76ers 6 3 1955, 1967 e 1983
Detroit Pistons 7 3 1989, 1990 e 2004
Miami Heat 6 3 2006 2012 e 2013

Jogadores mais vezes campeões da NBA

Além dos times mais vitoriosos, alguns jogadores também têm notoriedade quando se trata de títulos da NBA. O jogador com mais vitórias, Bill Russel, ex-jogador do Celtics, conta com 11 troféus. Dentre os jogadores que ocupam os próximos lugares da lista, estão alguns de seus ex-colegas de time, como Sam Jones, com 10 títulos, John Havlicek, Tom Heinsoh, K.C. Jones e Tom Sanders, que venceram 8 campeonatos. Mesmo após a aposentadoria do vitorioso elenco, o time voltou a ser campeão da NBA diversas vezes, o que fez com que outros jogadores também acumulassem títulos, como Larry Bird que venceu 3.

Em diferentes momentos da história da NBA, o Lakers também contou com diversos títulos e importantes jogadores, como Kareem Abdul-Jabbar, que venceu a liga 6 vezes (sendo 5 pelo Lakers), Magic Jhonson, com 5 títulos, Kobe Bryant, também com 5, e Shaquille O’Neal, com 4. Já na história do Chicago Bulls, que ganhou as 6 finais que participou, os jogadores com mais títulos são Jordan e Scottie Pippen, com 6 títulos cada, e Dennis Rodman, que estava presente em 5 das 6 finais.

Outros jogadores que merecem destaque pela coleção de Campeonatos são Tim Duncan, com 5 troféus pelo Spurs, seu companheiro de time, Manu Ginobili, com 4, Lebron James, que também já venceu 4 campeonatos, e Stephen Curry, Klay Thompson e Draymond Green, do Warriors, que já contam com 3 canecos.

O atual técnico do Warriors, Steve Kerr, também tem posição relevante na lista de maiores campeões, uma vez que possui 8 títulos, sendo 3 deles como técnico do Golden State, 3 como jogador do Bulls, ao lado de Jordan, e 2 como jogador do San Antonio Spurs.

Títulos Jogador Clube(s) defendido(s) Anos em que foi campeão
11Bill RussellBoston Celtics1956-57, 1958-59, 1959-60, 1960-61, 1961-62, 1962-63, 1963-64, 1964-65, 1965-66, 1967-68, 1968-69
10Sam JonesBoston Celtics1958-59, 1959-60, 1960-61, 1961-62, 1962-63, 1963-64, 1964-65, 1965-66, 1967-68, 1968-69
8John HavlicekBoston Celtics1962-63, 1963-64, 1964-65, 1965-66, 1967-68, 1968-69, 1973-74, 1975-76
8Tom HeinsohnBoston Celtics1956-57, 1958-59, 1959-60, 1960-61, 1961-62, 1962-63, 1963-64, 1964-65
8K.C. JonesBoston Celtics1958-59, 1959-60, 1960-61, 1961-62, 1962-63, 1963-64, 1964-65, 1965-66
8Tom SandersBoston Celtics1960-61, 1961-62, 1962-63, 1963-64, 1964-65, 1965-66, 1967-68, 1968-69
8Steve KerrGolden State Warriors, Chicago Bulls e San Antonio Spurs  2015-16, 2017-18, 2018-19 1995-96, 1996-97, 1997-98 1998-99, 2002-03

Finais Históricas

Com cerca de 10 milhões de telespectadores, tanto a NBA Finals quanto os Playoffs são momentos de destaque para a liga. Entretanto, algumas finais ganharam notoriedade por suas peculiaridades. Desde finais marcadas por viradas até aquelas marcadas por despedidas, o confronto sempre conta com fatores inesperados que tornam o espetáculo ainda melhor.

Em 2016, na temporada em que o Warriors quebrou o recorde de mais vitórias em temporada regular, vencendo 73 dos 82 jogos, o time perdia de 3-1 nas finais de conferência para o Oklahoma City Thunder. Na ocasião, o time virou a série e conseguiu avançar para as finais, contra o Cleveland Cavaliers. Iniciou a série também com 3-1 de vantagem, porém, nos jogos 5 e 6, em Cleveland, o Cavs, na época liderados por Lebron James e Kyrie Irving, demonstraram dominância e empataram a série.

Foto: Getty Images

O jogo 7, na California, consagrou o Cleveland Cavaliers como campeão da temporada, dando à franquia seu primeiro título da história. A virada promovida pelo time jamais havia sido vista na história e promoveu cenas marcantes, como o toco dado por LeBron em Andre Igoudala, momento que foi absolutamente decisivo na série. A emoção dessa NBA Finals foi o que a tornou uma das grandes da história.

Além de viradas emocionantes, as finais também foram palco de despedidas emocionantes. Em 1998, nas últimas partidas de Michael Jordan pelo Chicago Bulls, o confronto da decisão gerou até um episódio especial no documentário do jogador, “The Last Dance”, disponível na Netflix. Na ocasião, o confronto entre Bulls e Utah Jazz foi a disputa pelo troféu entre os dois times pelo segundo ano seguido e, no ano anterior, a série havia sido marcada por diversos atritos e pelo “Flu Game” de Jordan.

NBA Finals: o que esperar das partidas decisivas?
(Foto: Getty Images)

O clima de tensão, além dos times de peso de ambas as equipes, garantiu uma série lembrada até os dias de hoje, em que o Bulls se consagrou hexacampeão e se tornou campeão da liga pelo terceiro ano consecutivo. O destaque foi para Jordan no jogo 6, em que a série foi decidida, quando o armador marcou 45 pontos. Após o confronto, a equipe de Chicago foi desmontada e MJ se aposentou, pela segunda vez, pouco tempo depois, consagrando o fim de sua hegemonia durante os anos 90.

Ainda sobre finais do século passado, em 1984, a tradicional rivalidade entre Celtics e Lakers também foi marcante para a liga. Em uma decisão que contou com jogadores como Magic Johnson e Kareem Abdul-Jabbar, do Lakers, e Larry Bird, do Celtics. A série começou empatada em 2-2, mas, no jogo 5, o time de Boston assumiu a liderança e encerrou a série no jogo 7, com atuação implacável de Larry Bird, que foi eleito MVP das finais. A série foi o primeiro dos 3 confrontos entre os times na NBA Finals, durante a década de 80, e reforçou ainda mais a rivalidade.

Onde assistir às finais da NBA

Tanto o Warriors quanto o Celtics tiveram importante papel na história da liga e desempenharam papel dominante durante toda a atual temporada. Para os fãs brasileiros que quiserem assistir a todos os jogos da NBA Finals deste épico confronto, que terá início dia 2 de junho, às 22:00, as partidas serão transmitidas pela ESPN, na TV fechada, e pelas plataformas de streaming Star+ e NBA League Pass.

Por Giovana Nicolosi Guerreiro e Joao Vitor Bianchi