Uma série de escândalos que reverberam através da Liga Nacional de Futebol Feminino depôs vários treinadores e a comissária da NWSL, Lisa Baird. A liga anunciou na sexta-feira que Baird havia renunciado e que cinco jogos haviam sido cancelados. A agora ex-comissária enfrentou críticas crescentes por afastar reclamações de coerção sexual e outros abusos dos treinadores.

O treinador Paul Riley do Courage da Carolina do Norte, foi demitido na quinta-feira, após um relatório do The Athletic de que ele havia coagido jogadores a fazerem sexo com ele, entre outros abusos. Sua licença de treinador foi suspensa pela Federação de Futebol dos Estados Unidos.

Na terça-feira, a liga anunciou que o técnico do Washington Spirit, Richie Burke, havia sido afastado e proibido de trabalhar na NWSL após uma investigação de assédio. Os representantes do Spirit estão atualmente impedidos de participar da governança da liga por não terem lidado corretamente com a situação.

O treinador do Racing Louisville, Christy Holly e o treinador Farid Bensti do OL Reign, foram demitidos durante o verão por causa de relatos de um ambiente de trabalho tóxico e comentários inapropriados, respectivamente.

Os escândalos vêm com a NSWL em ascensão. Os espectadores quase triplicaram em 2020, com o primeiro e último jogos da Challenge Cup empatando 572.000 e 653.000 espectadores, respectivamente, na CBS.

A NWSL assinou em março de 2020 acordos de três anos com a CBS por US$ 4,5 milhões, e com o Twitch, de propriedade da Amazon.