O Chelsea FC é praticamente garantido para ser vendido a um proprietário de uma equipe esportiva americana.  

  • O co-proprietário do Boston Celtics, Stephen Pagliuca, é um finalista. Pagliuca é também o acionista majoritário do Atalanta e co-presidente da Bain Capital. 
  • Todd Boehly, co-proprietário do Los Angeles Dodgers e Los Angeles Lakers, entrou para a lista de finalistas.  
  • A eles se juntam os co-proprietários de New Jersey Devils Josh Harris e David Blitzer com o empresário britânico e ex-presidente do Liverpool, Sir Martin Broughton. 
  • Thomas Ricketts, proprietário do Chicago Cubs, também continua na corrida.  

Foi pedido aos licitantes que se comprometessem com pelo menos $1,3 bilhões de dólares de investimentos adicionais, incluindo reformas no estádio Stamford Bridge da equipe. As propostas poderiam chegar a pelo menos US$ 3,9 bilhões. 

A situação atual do Chelsea está afetando sua capacidade de fazer mudanças de pessoal. A equipe é controlada sob uma licença emitida pelo governo do Reino Unido após sancionar o proprietário anterior Roman Abramovich e apreender o clube. 

As sanções teriam impedido a aquisição do goleiro Gabriel Slonina do Chicago Fire em um acordo de transferência no valor de US$ 6,6 milhões. O Chelsea está impossibilitado de negociar renovações contratuais com seus jogadores atuais. 

Abramovich, que esteve envolvido em negociações entre a Rússia e a Ucrânia, mostrou sinais de possível envenenamento, assim como os negociadores ucranianos, de acordo com relatos desta segunda-feira. Acredita-se que todos os afetados estão seguros.