O time de beisebol Tampa Bay Rays e o seu dono, Stuart Sternberg, estão mais uma vez envolvidos em uma turbulência legal. Cinco proprietários minoritários do Rays alegam que não estão recebendo praticamente nenhum benefício de propriedade e estão levando o caso ao tribunal. Os proprietários que possuem coletivamente 9,6% dos Rays alegam que o proprietário principal Sternberg cometeu fraude e violou a Lei de Práticas Comerciais Desleais e Deceptivas da Flórida.

Em uma ação movida no Tribunal de Pinellas-Pasco, na Flórida, o grupo de cinco sócios alega que Sternberg fez uma “transferência fraudulenta” do time para uma empresa controlada por ele, a Rays Baseball Club, sem o seu conhecimento, separando-os da participação nas receitas ou outras operações do clube. O grupo afirma que a sua propriedade “foi reduzida a uma mera casca , sem receitas de operações relacionadas ao beisebol, sem fluxo de caixa e sem responsabilidades (…) com os sócios limitados.”

O processo é o terceiro movido contra Sternberg e Tampa Bay Rays pelo mesmo grupo de sócios. Treze meses atrás, os sócios alegaram que Sternberg tentou espremê-los e vender uma parte dos Rays para interesses de Montreal, Canadá. Uma segunda reclamação apresentada no início deste ano alegou que Sternberg e outros retiveram documentos importantes relacionados às finanças dos Rays, essa ação está indo para uma audiência preliminar em setembro. Entre as últimas alegações, está a não divulgação de um pagamento de US$ 376 milhões da rede esportiva regional da equipe, Bally Sports Sun, que foi transferido para a nova entidade controlada por Sternberg e não para a parceria do clube.

O próprio Sternberg e a MLB ainda não comentaram sobre a ação mais recente do grupo, que quer remover Sternberg como sócio geral a partir das reivindicações sob a Lei de Práticas Comerciais Desleais e Deceptivas da Flórida, em relação a enriquecimento sem causa e transferência fraudulenta.