O esporte de alto rendimento demanda muito de um atleta. O condicionamento, seja para quem disputa competições individuais ou coletivas, nem de longe pode ser apenas físico. Assim como o preparo muscular e aeróbico, o mental também ocupa uma fatia importante na construção de campeões. E isso abre um enorme campo de trabalho para um tipo de profissional que, para muitas pessoas, nem sempre é associado ao mundo esportivo: o psicólogo.

Psicologia do Esporte é considerada uma das Ciências do Esporte. É um campo recente, que visa estudar as características psicológicas de indivíduos em geral envolvidos com atividades esportivas e físicas.

Um século de evolução

De acordo com o site Educa Mais Brasil, a origem da análise sobre a atuação da Psicologia data do final do século XIX. Foi a época em que foram feitos os primeiros estudos e pesquisas sobre os aspectos psicológicos presentes nas atividades físicas e esportivas. Na década de 1920, por exemplo, o norte-americano Coleman Griffith e o alemão Robert Werner Schulte lançaram importantes publicações sobre a aplicação da psicologia na prática dos esportes e nos treinamentos.

A área se ampliou muito ao longo dos anos. E diversos estudos começaram a ser feitos com o objetivo de desenvolver novas teorias sobre o comportamento humano em diferentes tipos de contextos, práticas e ambientes esportivos. E toda essa investigação científica feita ao longo de pelo menos um século tem trazido muita evolução tanto para atletas quanto pros profissionais da psicologia.

O artigo do Educa Mais Brasil, no entanto, ressalta que mesmo com os avanços na pesquisa, o psicólogo do esporte ainda é visto com desconfiança. Tanto por parte de outros profissionais da Psicologia quanto pelos próprios esportistas. E a pessoa que pretende atuar nessa área precisa saber identificar as oportunidades do mercado.

O que faz o psicólogo do esporte?

Basicamente, o psicólogo do esporte, como não poderia deixar de ser, lida com as questões que estão diretamente ligadas à mente. Portanto, temas como motivação, liderança e superação costumam ser recorrente no contato desses profissionais com atletas. Alé disso, também trabalham-se questões como espírito de equipe e violência.

O psicólogo do esporte, para atuar na área, precisa ter graduação em Psicologia e possuir registro no Conselho Federal de Psicologia. E, como destaca o Educa Mais Brasil, esse tipo de profissional pode se especializar na área. Buscar esse tipo de especialização é excelente para o currículo. E um diferencial para quem busca maiores oportunidades.

Campo de atuação

As equipes de alto rendimento costumam oferecer as principais oportunidades para quem trabalha como psicólogo do esporte. Mas a psicologia esportiva também pode estar presente em outras áreas, como o acompanhamento de uma reabilitação de lesão ou mesmo em ambientes escolares.