No último dia 11, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou três novos contratos de patrocínio para o Brasileirão Assaí. As empresas Binance, Galera.bet e GIROAgro assinaram como patrocinadores da Série A do Campeonato Brasileiro. Os valores dos contratos não foram divulgados pela CBF, mas os três novos patrocínios completam a grade de cotas disponíveis para a edição desse ano, que já contava com o Assaí, na posição de naming rights, Kwai na cota master, Brahma e Konami como patrocinadores e Nivea Men como Apoiadora do torneio. O alto interesse dos patrocinadores tem acompanhado o aumento do crescimento e engajamento nas redes sociais do Brasileirão Assaí, bem como um início de Campeonato com médias de público bastante expressivas em virtude da demanda reprimida após a volta do público aos estádios. 

Apesar de possuírem algumas semelhanças, como a aplicação das marcas no backdrop de entrevistas, as entregas digitais, de visibilidade, experiências e o período de duração, os contratos de patrocínio também possuem algumas diferenças entre si, com contrapartidas customizadas para cada empresa. A empresa de palpites e apostas esportivas Galera.bet, por exemplo, se tornará a patrocinadora master da competição.  

Enquanto a Binance, maior provedora global de infraestrutura para ecossistema blockchain e de criptomoedas, será patrocinadora não só do Brasileirão Assaí, mas também do Brasileirão Feminino Neoenergia, do Brasileirão Feminino A-2 e do Brasileirão Feminino A-3. Além disso, o contrato de três anos também contempla o desenvolvimento de Fan Tokens e NFTs, entre outros projetos relacionados a criptomoedas. Já a GIROAgro, empresa do setor do agronegócio, passa a ser uma das poucas empresas desse setor a estar atuando diretamente no meio do futebol. 

Em uma pesquisa internacional do site especializado ‘CostPost.Pro’, o Campeonato Brasileiro foi eleito a 5ª Liga de Futebol mais valiosa e de maior engajamento do mundo. A pesquisa levou em consideração os conteúdos digitais do Twitter, Instagram, YouTube e outras redes sociais de vídeo em sua avaliação. 

Em um comparativo entre as temporadas 2020 e 2021, as redes sociais do Brasileirão registraram aumentos de cerca de 42% no número de seguidores (6,850 milhões), 25% em engajamento (90 milhões) e 150% em impressões (3,482 bilhões).   

Tendências do patrocínio esportivo 

A consolidação dos patrocínios das empresas Binance e Galera.bet ao Brasileirão comprovaram um movimento cada vez maior no futebol brasileiro: o domínio de sites de apostas e empresas de criptomoedas – além de bancos – no patrocínio esportivo.  

Em estudos sobre os patrocínios esportivos realizados em 2020 e 2022, o Sport Insider constatou uma predominância de bancos, sites de apostas e empresas de criptomoedas no futebol brasileiro. Hoje, temos 6 clubes da série A com empresas de criptomoedas como patrocinadores, o que representa 30% do campeonato, e 17 clubes com sites de apostas como patrocinadores, o que representa 85%. Não há nenhum clube da série A que não tenha patrocínios de uma marca de algum desses três setores.