Desde a sua fundação, a Netflix nunca investiu em adquirir direitos de transmissão de esportes ao vivo. Porém, isso pode estar prestes a mudar. A plataforma global de streaming está entre as empresas que competem pelos direitos de transmissão da Fórmula 1 nos EUA, de acordo com o Business Insider

A ESPN, de propriedade da Disney, espera reter os direitos, que expiram este ano, com uma oferta inicial de US$ 70 milhões por ano. Contudo, a Liberty Media, controladora da F1, está buscando um contrato de cerca de US$ 100 milhões por ano. NBCUniversal e Amazon também estão na disputa com a Netflix para adquirir a série de corridas global, que tem presença crescente nos EUA, com Miami se unindo a Austin como sede de um Grand Prix em maio e Las Vegas chegando no próximo ano. 

A corrida inaugural do GP de Miami atraiu 2,6 milhões de espectadores médios para o canal de TV norte-americano American Broadcasting Company (ABC), o número mais alto de todos os tempos para uma transmissão nos EUA. Além disso, a série documental da Netflix Drive to Survive, focada nos bastidores, imagens inéditas e entrevistas sobre a Fórmula 1, obteve grande sucesso, associando a plataforma de streaming à F1 e expandindo o público da modalidade, o que resultou em uma renovação por mais duas temporadas.

Diante da queda no número de assinantes pela primeira vez em mais de uma década no primeiro trimestre deste ano, a Netflix planeja introduzir novos conteúdos e um suporte por anúncios na plataforma a partir do próximo ano. A Netflix registrou um número total de 221,6 milhões de assinantes no final do primeiro trimestre.