A Copa do Mundo de 2018, na Rússia, foi a primeira na história com o recurso do VAR (árbitro de vídeo). Um sinal evidente de abertura, por parte dos responsáveis pelas regras do futebol, para a entrada da tecnologia no esporte. Mas ao mesmo tempo em que essas inovações foram incorporadas apenas recentemente à prática do jogo, outras tantas já vem sendo usadas há mais tempo por analistas de desempenho de comissões técnicas, na preparação de times. Como acontece com ferramentas de scout, por exemplo, que auxiliam, com estatísticas, no avanço técnico e tático das equipes.

Ferramentas de scout

O blog da Unisport Brasil fala justamente desse tipo de ferramenta, que tem mudado a forma como muitos esportes são praticados atualmente. Tanto em âmbito profissional quanto no universo amador. As ferramentas de scout no futebol, por exemplo, são importantíssimas para potencializar os resultados e tornar os times mais competitivos.

O artigo reforça o fato de que as novas tecnologias trazem uma série de benefícios para as práticas desportivas, seja nas questões físicas, técnicas, ou até mesmo psicológicas e administrativas dos esportes.

Do manual e analógico para o digital

No caso específico dos softwares de “scout”, o que vem acontecendo de alguns anos para cá é a informatização de um processo que as comissões técnicas já fazem há décadas, com registros e análises técnico-táticas coletivas. Ou seja, é uma ferramenta já utilizada no meio do futebol muito antes das inovações tecnológicas. Segundo o artigo, seus primeiros registros massivos no Brasil datam dos anos de 1970, porém de forma manual ou analógica.

Quando um scout é feito de forma manual, é normal que cada treinador acabe gerando relatórios diferentes, com critérios personalizados. Mesmo assim, a atividade serve para controlar a quantidade dos fundamentos realizados nos treinos táticos e nas práticas desportivas. E isso é feito por meio de uma avaliação do aproveitamento das equipes e dos jogadores, de forma individual.

Exemplos de dados analisados

O texto da Unisport Brasil cita um exemplo hipotético: se ocorreram 100 passes errados durante uma partida, que teve um volume de 800 passes, há um aproveitamento de 88%. E esse número pode ser classificado como positivo, de um modo geral, ou determinar uma evolução, se comparando com partidas anteriores que, por ventura, tenham alcançado índices menores.

Com a automação de um software, o processamento dos dados e as análises são feitos de forma mais rápidas e precisas para os analistas de desempenho. Por meio desses softwares, além do acesso aos dados essenciais das partidas, o profissional pode até mesmo ver os vídeos, acompanhar lance a lance e identificar, na prática, os principais erros e acertos da equipe. Como um todo e individualmente.

Softwares de scout oferecem diversas vantagens. E o artigo da Unisport Brasil listou algumas para justificar a contratação de uma ferramenta desse tipo. Veja quais são:

Edição de lances das partidas

O analista de desempenho de um clube pode editar diversas imagens para apresentar ao time. E, ao mesmo tempo, acrescentar a análise qualitativa. O sistema desse tipo de software permite aceleração, desaceleração e aglutinação de imagens. E pode separar momentos importantes. Favorecendo não apenas a frieza dos números estatísticos, mas também a visualização, de forma qualitativa, do que essencialmente deu errado numa partida, por exemplo.

Relatórios precisos

A partir das análises dos lances, com informações como passes totais, passes errados, faltas, finalizações, entre outros, esse tipo de sistema é capaz de gerar relatórios estatísticos precisos e muito completos. De forma direta, precisa e rápida.

A vantagem de ter ferramentas de scout trabalhando em prol da equipe é deixar o analista de desempenho livre, durante uma partida, para voltar suas atenções a outras questões mais qualitativas. Uma vez que, ao final, o sistema irá oferecer todos os números que o profissional precisa. Inclusive com comparação de relatórios de partidas anteriores.

Dados estatísticos

A partir de dados estatísticos, o analista de desempenho tem a possibilidade de fazer comparações e avaliar a eficiência da equipe e dos jogadores de forma individual. De forma ágil e precisa, sem deixar escapar detalhes que poderiam passar despercebidos.

Dessa forma, o processo de feedback se torna bem mais ágil. O que reflete numa melhora mais rápida nos resultados rapidamente, uma vez que logo após a partida analisada, a comissão técnica já tem como direcionar os treinamentos para corrigir as falhas apresentadas.

Conheça algumas das principais ferramentas de scout do mercado:

InStat Scout

Software criado na Rússia, o InStat Scout é um dos principais do mercado. Tem uma base de dados de mais de 400 mil atletas de todo o mundo, com suas respectivas estatísticas. E oferece ao analista de desempenho possibilidades quase infinitas de análises. Dentro dele, também é possível analisar certos tipos de jogada e, ainda, fazer comparações entre times. Uma boa forma de se verificar quais os padrões e tendências de rivais.

Wyscout

Utilizado por grandes clubes, como Juventus (Itália), Real Madrid (Espanha) e Borussia Dortmund (Alemanha), o Wyscout foi criado em 2004. Possui dados de aproximadamente 460 mil atletas ao redor do planeta. E, por isso, é uma opção, inclusive, para a decisão de contratação de novos talentos, por facilitar o trabalho de olheiros.

Além disso, essa ferramenta conta com uma ampla base de vídeos, que podem ser usados em comparações entre jogos. Aproximadamente 1.800 novas partidas entram na base de dados a cada semana. O software também oferece possibilidades de edição do vídeo. Para que o analista de desempenho possa destacar as partes mais importantes dos jogos.

Footstats Premium

Software 100% feito no Brasil, o Footstats Premium reúne dados estatísticos das séries A e B do Campeonato Brasileiro. Além dos campeonatos Paulista, Carioca, Mineiro e Gaúcho e das Copas Libertadores e Sul-Americana. Oferece dados em tempo real para os analistas de desempenho. Ao mesmo tempo em que uma partida está em curso, com informações como zona de finalizações e mapa de calor.