A indústria esportiva é tão grande, que seus desdobramentos chegam a diversos outros segmentos. E um deles é o mercado da moda. De acordo com um estudo da consultoria brasileira Sports Value, especializada em marketing esportivo, a venda a varejo de materiais e produtos esportivos movimentou ao redor do mundo nada menos que US$ 260 bilhões (mais de R$ 1 trilhão) no ano de 2017. Desse total, as fabricantes de material esportivo respondem por US$ 82 bilhões.

Líderes entre fabricantes de material esportivo

As norte-americanas Nike e Under Armour, junto com as alemãs Adidas e Puma, são as marcas que lideram esse mercado. Juntas, as quatro empresas faturaram US$ 68 bilhões, ou 83% do total das fabricantes de material esportivo.

20229565 – bucharest, romania – june 13: adidas store on june 13, 2013 in bucharest, romania. is a german multinational corporation that designs and manufactures sports clothing and accessories based in germany.

De acordo com uma reportagem publicada pelo site SRZD, o estudo indicou que a Nike liderou com sobras o segmento, com US$ 34,4 bilhões movimentados. Na sequência vem a Adidas, com US$ 24 bilhões; seguida da Under Armour (US$ 5 bilhões) e da Puma (US$ 4,7 bilhões).

Um terço de toda a indústria esportiva

As vendas de materiais e produtos esportivos representaram nada menos que um terço de tudo o que foi movimentado pela indústria esportiva no ano anterior. Segundo o SRZD, em 2016, o mercado fez circular em todo o planeta US$ 720 bilhões, o equivalente a quase R$ 3 trilhões. Nesse valor estão incluídos salários dos maiores atletas de todos os esportes; patrocínio a eventos e clubes; licenciamentos; direitos de TV; venda de material esportivo; venda de entradas para jogos, entre outras coisas.

O mesmo estudo revela que o crescimento das vendas neste mercado se intensificou muito claramente nos últimos 16 anos. Além de atenderem praticantes de esporte com suas roupas, calçados e acessórios, as essas marcas esportivas também são criadoras de moda, lançando tendências não apenas para quem quer um bom material para se exercitar, mas também para a vestimenta do dia a dia.

A difusão do conceito de que esporte é saúde, que data da década de 1980, catapultou a indústria de material esportivo, pois muitas pessoas foram incentivadas a deixar de lado o sedentarismo para darem início à prática de algum exercício físico, nos fins de semana ou de forma diária e regular.

Profissionalização do esporte

Além disso, de acordo com o artigo do SRZD, outro ponto importante para esse desenvolvimento foi a profissionalização cada vez maior do esporte como um espetáculo. Isso fez crescer o mercado de diretos de TV, patrocínios, vendas de produtos, consumo nos estádios e novas mídias, fazendo com que os times e ligas também evoluíssem.

Os mercados dos Estados Unidos e da Europa concentram atualmente cerca de 75% do volume global de evendas. Enquanto a América Latina responde por apenas 6% do montante total.