O Comitê Olímpico Espanhol (COE) está prestes a encerrar a proposta de candidatura conjunta entre Espanha, Catalunha e Aragão para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Inverno de 2030, mudando o foco para as Olimpíadas de Inverno de 2034, segundo relatos da mídia catalã. De acordo com o jornal catalão Ara, um anúncio oficial sobre a decisão é iminente, com a candidatura para 2030 enfraquecida nos últimos meses, em meio a discussões sobre a divisão de eventos esportivos entre as duas regiões.

No mês passado, o Governo da Catalunha adiou uma consulta pública sobre a proposta da região. Um referendo estava programado para 24 de julho, mas o Governo optou por adiar a votação para permitir que o público pudesse receber mais informações sobre a candidatura. Em abril, o COE havia anunciado que um plano de oferta conjunta para a Espanha sediar as Olimpíadas de Inverno com Catalunha e Aragão havia sido aprovado, apesar de Aragão estar em desacordo com o esquema proposto.

A comunidade autônoma apresentou uma nova proposta no final do mês e esperava-se que o COE entregasse uma solução definitiva em poucos dias. As chances de Aragão ser incluído na candidatura diminuíram, no entanto, após uma série de reuniões para decidir sobre os termos da candidatura que não chegaram a um acordo.

A Catalunha anunciou na semana passada que faria uma oferta individual para os Jogos de 2030, mas isso foi descartado pelo COE. No entanto, esta ideia pode ser recuperada para 2034, através de um projeto liderado pelo Governo da Catalunha com outras possíveis colaborações que podem se estender até a inclusão de Andorra em uma licitação. A saída de Catalunha e Aragão pode reduzir a disputa pelos Jogos de Inverno de 2030 para uma corrida de três vias.

Proposta do Canadá para as Olimpíadas de Inverno de 2030

O Comitê Olímpico Canadense (COC) apresentou, na semana passada, o seu conceito para Jogos Olímpicos e Paraolímpicos liderados por indígenas, focados principalmente em Vancouver e Whistler. O COC afirmou que a revelação do conceito marcou um passo importante em um processo liderado por indígenas e financiado por fundos privados que pode definir um modelo global para parcerias entre as Primeiras Nações, governos e o mundo do esporte na exploração de grandes eventos.

O plano quase que exclusivamente reutiliza e renova os locais existentes – como o Doug Mitchell Thunderbird Sports Center da UBC (hóquei no gelo), o Richmond Olympic Oval (patinação de velocidade) e o Whistler Sliding Center (bobsleigh, skeleton, luge). O conceito também propõe uma nova parceria com o Sun Peaks Ski Resort, resort de esqui alpino localizado perto de Kamloops, que sediará eventos de snowboard e esqui freestyle nos territórios tradicionais do Lago Adams, Lago Little Shuswap e Neskonlith Indian Bands.

No início deste mês, a esquiadora chinesa Eileen Gu, uma das estrelas dos Jogos deste ano em Pequim, foi nomeada embaixadora da candidatura de Salt Lake City para sediar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2030. Enquanto isso, funcionários do Comitê Olímpico Internacional inspecionaram locais de competição em Sapporo para os Jogos de 2030.