Com uma bela apresentação musical do grupo Camerata Jovem do Rio de Janeiro, teve início neste sábado (30/03), no Centro Cultural da Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro, o IX Seminário Gestão Esportiva FGV/CIES. O evento acontece até 18h e reúne palestrantes que são profissionais de destaque no mundo esportivo.

No primeiro painel, que abriu o evento logo a apresentação musical, estiveram presentes Francisco Rubio Sanchez (Diretor Acadêmico do CIES), Paulo Sérgio Coelho (Superintendente do Núcleo Rio da FGV), Pedro Trengrouse (Coordenador Acadêmico do curso “FGV/FIFA/CIES Programa Executivo – Aperfeiçoamento em Gestão de Esportes”) e Paulo Wanderley (Presidente do Comitê Olímpico Brasileiro).

Paulo Sérgio Coelho começou o painel falando sobre a missão da FGV de levantar o cenário sócio-econômico do país. E no caso específico do seminário de gestão esportiva, o executivo falou da colaboração da indústria do esporte nessas mudanças.

“Esse curso é feito em parceria com o CIES e a Fifa. E toda vez que fazemos esse evento, temos a oportunidade de falar um pouco mais sobre esse curso. No esporte, é preciso organização, é preciso gestão. E é por isso que esse curso acontece na FGV, que olha pra essa área de gestão. Temos um foco muito grande na educação à distância, que é o formato desse curso, que é o que permite uma capilaridade maior, para chegarmos em todo o país”, disse Paulo Sérgio Coelho.

Na sequência, o espanhol Francisco Rubio ressaltou que o programa da CIES é o mais conceituado do mundo na indústria do esporte. E falou um pouco sobre o tipo de público que busca esse tipo de especialização.

“Há alunos recém-formados e outros já muito qualificados. Há alunos com e sem experiência no esporte. Atletas e ex-atletas do esporte, entre outros”, afirmou Francisco.

Paulo Wanderley, falou sobre como um dos legados mais importantes da realização de grandes eventos no Brasil, como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos.

“Eu creio que esse caminho da transferência do conhecimento dentro do esporte é irreversível. Fala-se tanto do legado físico, mas tão importante quanto foi o legado dos profissionais que trabalharam na realização dos Jogos Olímpicos. Atualmente, temos brasileiros que atuaram aqui, na organização desses eventos, e que estão trabalhando mundo afora. A própria Copa América, que teremos aqui, tem muita gente envolvida que esteve na Copa do Mundo e nos Jogos Olímpicos”, disse Paulo Wanderley.

O presidente do COB também falou sobre uma das áreas mais importantes dentro da indústria do esporte hoje em dia: o direito.

“Como eu tenho observado ao longo dos meus anos no esporte, na gestão, vejo a necessidade da especialisação e da atuação do profissional do direito. Não só do especialista em direito esportivo. Mas criminal, cível, trabalhista, público, etc. Hoje, eu estou há um ano e meio como presidente do Comitê Olímpico Brasileiro. E posso dizer que quase dois terços do tempo foram usados pra resolver problemas de área jurídica. O jurídico, hoje, atingiu um protagonismo enorme, a ponto de, muitas vezes, influenciar na nossa atividade final, que é o esporte em si”, contou o presidente do COB.

Para finalizar, Pedro Trengrouse tomou a palavra e começou agradecendo a todos os envolvidos na realização do evento. E exaltou o curso “FGV/FIFA/CIES Programa Executivo – Aperfeiçoamento em Gestão de Esportes” como o melhor do Brasil.

“O único lugar onde sucesso vem antes de trabalho é no dicionário. A missão da FGV é transformar o Brasil por meio da educação. E esse nosso curso tem essa missão no esporte. E o que nós teremos a oportunidade de ouvir no dia de hoje é justamente o exemplo disso que nós colocamos com visão. Esses palestrantes de hoje, em algum momento, não tinham experiência, não tinham qualificação. Mas sentaram nessa cadeira onde vocês estão hoje, de estudantes. Espero que vocês aproveitem a oportunidade de conviver com essas pessoas aqui hoje, não só para se inspirarem nos exemplos que elas trazem, mas tambpem para se aproximarem, pois são essas pessoas que podem arrumar um emprego para vocês lá na frente” aconselhou Pedro.